Mapeamento da origem de dados

Geralmente são tabelas

Na maioria dos projetos de business intelligence a origem dos dados estão organizadas em tabelas ou arquivos com delimitadores, então, devido a isso podemos focar o mapeamento de origem nestes objetos, vou exemplificar com um caso prático.

Para nosso projeto fictício vamos precisar do cadastro de clientes da empresa, após entrevistar as áreas envolvidas descobrimos que este cadastro é mantido e atualizado através do sistema CRM da empresa, este sistema é mantido fora por uma empresa terceira, nossa primeira anotação devem ser as informações abaixo:

EMPRESA | RESPONSÁVEL | BANCO DE DADOS | INFORMAÇÕES DE ACESSO | TABELA OU VIEW

se a informação estiver em um arquivo você deve ter o endereço de acesso (FTP), o nome do arquivo e o tipo

Periodicidade e Atualização

Após esta anotação devemos saber qual será a periodicidade que os dados estarão disponíveis e atualizados (diário, semanal, mensal, etc…) e como podemos valida-los antes da extração (pelo nome, pela quantidade de linhas, etc…).

Agora que enxergamos nossa tabela vamos conhecer cada campo, para isso descubra os seguintes meta-dados:

  1. Nome do campo,
  2. Tipo,
  3. Descrição do campo,
  4. Conceito do negócio,
  5. Validação dos registros,
  6. Ultima atualização,
  7. Marque o que pode ser uma dimensão ou uma chave.

Fluxo do pré-desenvolvimento

mapeamento da origem de dados é uma etapa muito importante realizada logo após a definição do escopo do projeto e desenho de alguns protótipos, mantenha sempre uma planilha atualizada para não se perder em um projeto muito grande ou quando estiver atuando em vários projetos, este mapeamento fará parte da documentação técnica do projeto e deverá ser fornecido a sustentação.

BIBLIOGRAFIA

  • BORBINHA, José. METADADOS. Disponível em: http://acm.org/sigmod/record/issues/9912/dmdw.pdf
  • FELTRIN, Christian. Datawarehouse (DW) Hospitalar. 
  • ZOCATELLI, Fabianni. Ambiente de Data Warehouse.
  • IKEMATU, Ricardo. Gestão de Metadados: Sua Evolução na Tecnologia da Informação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*